Som & Fúria: Enversos

A banda Enversos abre dia 8 de novembro, sexta, a quarta edição do Cine Horto Som & Fúria. No dia seguinte, o projeto recebe Titane e Baka com shows individuais e um show especial em parceria. A festa ainda contam com os beats dos DJ’s Vini Brown e DJ Naroca.

O Cine Horto Som & Fúria marca a estreia de um esforço inédito de aproximação do centro cultural do Grupo Galpão com a cena musical. Nas edições anteriores o projeto já recebeu Gui Ventura, Hakili, Dona Jandira, Bernardo Bauer, Rádio Exodus, Johnny Herno, Joana Bentes, Jennifer Souza e Davi Fonseca.

A Enversos vai apresentar o show de lançamento do disco Da Margem ao Centro, gravado em São Paulo no Redbull Music Studio. No repertório estão as músicas do disco e músicas inéditas. O cenário e figurino são baseados no conceito do disco, inspirado pela obra de Milton Santos “Por uma outra globalização”. A ideia é divulgar a importância de trabalhos artísticos pertencentes a margem, difundindo a cultura popular mediante o uso de instrumentos próprios da cultura de massas, e centralizando as ações culturais nos jovens, que vivem a margem social, cultural e étnica. Criado em 2016, com participação especial do cantor Djonga, o show Da Margem ao Centro lotou o Teatro do Conservatório de Música da UFMG.

Conheça abaixo um pouco da trajetória de cada uma das atrações de outubro.

Enversos

A Enversos, banda autoral de Belo Horizonte,formada por estudantes da UFMG, escolhida pela RedBull como a Melhor Banda Universitária do Brasil em 2018. Lançou O disco DA MARGEM AO CENTRO gravado em São Paulo no Redbull Music Studio, que tem o conceito baseado na obra de Milton Santos, “Por uma outra globalização”, e vem com intuito de divulgar trabalhos artísticos pertencentes a margem, como o Hip Hop, Black Music e Funk com letras que fazem críticas sociais de forma pop.

Titane

Foto: Luiza Palhares

TITANE pertence à geração que renovou a mpb a partir da década de 1980, contabilizando 6 álbuns-solo, 2 DVDs e participação especial em discos e dvds de diversos nomes da música brasileira.

Em seu repertório cultiva, em estado permanentemente híbrido, clássicos da MPB, anônimos, compositores emergentes e as influências do congado mineiro, manifestação artístico-religiosa da população de ascendência negra de Minas Gerais, seu estado de origem.

Intérprete por excelência, confronta autores de diferentes matizes e gerações, recorrendo a fontes sonoras diversas para compor com segurança e personalidade seu universo musical.

Seus álbuns, dvds e espetáculos percorrem diferentes atmosferas musicais, privilegiando sonoridades acústicas e percussivas (“Titane”) ou vozes processadas e instrumentações eletrônicas (“Ana”); grandes coros cênico-musicais (“Titane e o Campo das Vertentes”) ou duos de violão e voz (“Inseto Raro”) e de piano e voz (“Paixão e Fé”, parceria com Túlio Mourão). Ou, ainda, aposta na criação livre e coletiva com o quinteto de vilões-baixo-percussão (“Sá Rainha”). Seu trabalho mais recente é dedicado à obra de um único compositor, Elomar Figueira Mello, menestrel do sertão brasileiro.

BAKA

Foto: Ana Paula Emery, Marina Drumond e Flávio Charchar

Criado para conectar pessoas através de conceitos, BAKA(馬鹿) é sobre ser artista e anti-herói.

Uma proposta de música POP com um leve tom experimental, repleta
de significados. A ideia era fundir a canção brasileira, o hip-hop de Los
Angeles e também o minimalismo tecnológico japonês.

As referências se expandiram ao visual e acabaram firmando o conceito. Uma espécie de ídolo POP de quadrinhos, anti-herói e futurista. Agora, BAKA acaba de lançar seu quarto single, “Linha de Chegada”, o último de sua primeira saga de lançamentos. Após três clipes com processos pessoais diferentes, em “Linha de Chegada” BAKA tem a necessidade de enterrar elementos e ideias do passado para que algo novo surja.
“Linha de Chegada” fecha a primeira saga de BAKA e suas quatro cores. Agora, o artista se prepara para lançar um disco com 7 faixas, todas com participações e produzidas por outros produtores. O disco se chamará “Amigo vol. 1”, inspirado no ideograma japonês 友達 (Tomodachi), que também significa amigo.

Data: 8 de novembro
Horário: Abertura da casa: 21h | Show: 23h
Ingresso: R$20 (inteira) | R$10 (meia)
Classificação: 18 anos
Categoria: | Assuntos:

Cadastre-se em nossa newsletter

E-mail*

Entre em contato

Rua Pitangui, 3613, Bairro Horto
Belo Horizonte - MG - Brasil - CEP.: 31030-065

+55 31 3481-5580

contato@galpaocinehorto.com.br

Horário de Funcionamento

Segunda a sexta das 9h às 22h, sábado das 9h às 17h e domingo das 15h às 21h.
Bilheteria – Aberta sempre 2h antes das apresentações.
Centro de Pesquisa e Memória do Teatro (CPMT) - segunda a sexta das 14h às 19h

Como Chegar