Hakili + Violento

Nos dias 2 e 3 de novembro, às 19h, o Galpão Cine Horto recebe o show-espetáculo Hakili + Violento.

Sobre Hakili

Hakili é um composto de experiências intensas jogadas sobre acordes uma semi-acústica. A complexidade sonora está na digestão dos textos que remontam cenas gravadas na memória do indivíduo, porém abarcam experiências coletivas. O gênero é blues, mas a melancolia é técnica e não-dominante. A referência rítmica é malê/estadunidense, mas a mão da construção é brasileira tanto quanto as histórias c(o)antadas.

Para discutir sobre saudade, perda, perdão, passado, presente e futuro; Douglas Din convida músicos a dividirem experiências, não só com a música, mas de vida. Douglas Din assina as composições e assume vocal e guitarra. Hadassa Amaral na bateria, percussões e vocais é o elemento mais energético, pulsante; fazendo das canções um tanto mais vivas. E na terceira ponta desse triângulo mineiro, Emílio Dragão com seu violão e voz reforça os harmônicos com modulações para equilibrar a relação entre harmonia e ritmo. Se junta ao grupo o músico, compositor e multi-instrumentista Johnny Herno.

O trabalho ainda conta com o olhar cênico do ator e diretor Alexandre de Sena, com o trabalho da produtora, atriz e dançarina Suellen Sampaio e os registros visuais e audiovisuais dos irmãos, Pâmela e Pablo Bernardo, que também colaboram com outros projetos ‘pretos’ da cena cultural belorizontina, entre os quais, a Segunda Preta e o espetáculo de teatro ‘Violento.’. Por consequência preenchem a lacuna deixada pelo título, “Hakili”, que em Bambara (língua materna do grupo étnico bambara) significa ‘memória’.

Ficha Técnica

Composições, guitarra e vocal: Douglas Din
Bateria e vozes: Hadassa Amaral
Percussão: Johnny Herno
Samples, violão, guitarra e vozes: Emílio Dragão
Iluminação: Preto Amparoo
Registro de foto e vídeo: Pablo Bernardo e Pâmela Bernardo
Produção: Suellen Sampaio
Orientação cênica: Alexandre de Sena

Sinopse Violento

violento
adjetivo. 1. que ocorre com uma força extrema ou uma enorme intensidade. 2. em que se emprega força bruta; brutal, feroz. 3. que possui grande força, grande poder de ataque ou de destruição. 4. falta de moderação, excessivamente enfático; veemente. 5. que apresenta agitação intensa; agitado, revolto, tumultuoso. 6. que perde facilmente o controle sobre si mesmo; irascível, colérico. 7. que contraria o direito e a justiça. 8. diz-se da morte causada pela força ou por acidente.

Ficha técnica

Atuação: Preto Amparo
Direção: Alexandre de Sena
Dramaturgia: Alexandre de Sena e Preto Amparo
Produção: Grazi Medrado
Registro em Foto e Vídeo: Pablo Bernardo
Assessoria dramatúrgica: Aline Vila Real
Preparação corporal: Wallison Culu/Cia Fusion De Danças Urbanas
Assessoria trilha sonora: Barulhista
Iluminação: Preto Amparo
Ilustração: Cata Preta
Assessoria de imprensa: Alessandra Brito

Data: 2 e 3 de novembro de 2019
Horário: Sáb e dom às 19h
Ingresso: R$20 (inteira) | R$10 (meia)
Classificação: 16 anos
Categoria: | Assuntos:

Cadastre-se em nossa newsletter

E-mail*

Entre em contato

Rua Pitangui, 3613, Bairro Horto
Belo Horizonte - MG - Brasil - CEP.: 31030-065

+55 31 3481-5580

contato@galpaocinehorto.com.br

Horário de Funcionamento

Segunda a sexta das 9h às 22h, sábado das 9h às 17h e domingo das 15h às 21h.
Bilheteria – Aberta sempre 2h antes das apresentações.
Centro de Pesquisa e Memória do Teatro (CPMT) - segunda a sexta das 14h às 19h

Como Chegar